26/05/17

Papa Francisco, Nossa Senhora de Fátima, São Francisco Marto e Santa Jacinta Marto em bOOnek


Há quem fale pelos cotovelos. A artista plástica Estela Baptista Costa fala pelos bOOnek.

Papa Francisco, Nossa Senhora de Fátima, São Francisco Marto e Santa Jacinta Marto, são os novos trabalhos à venda em exclusivo no Consolata Museu | Arte Sacra e Etnologia.

​«Os boonek são ilustrações pintadas sobre tecido e convertidas em bonecos. Sendo eu ilustradora para a infância senti sempre necessidade, também como mãe, de fazer chegar às crianças uma imagem mais infantil dos santos.

Os meus filhos pedem-me bonecos dos super-heróis e brincam com eles. Penso que a melhor forma de educar as crianças na Fé e fazê-los perceber quem foram os santos é tornar essas personagens mais palpáveis, mais apelativas para as crianças.

Porque é que os santos não podem ser super-heróis? Foi nesse sentido que fiz estes boonek sobre os santos, para os tornar mais próximos das crianças, para que eles possam querer dormir agarrados a uma Nossa Senhora ou ao Papa, ou aos pastorinhos que são também crianças e que se encaixam neste mundo muito bem, porque são crianças para outras crianças e que, segundo o milagre que os levou à canonização, são crianças que cuidam de outras crianças. É, também, uma forma de evangelizar».

***

Estela Baptista Costa nasceu nas Caldas da Rainha em 1975. Viveu a sua primeira infância no meio das árvores e da terra gravando assim no seu ADN a marca da natureza. Talvez tenha sido aí que tenha nascido o seu amor pelas árvores que tenta imortalizar na sua gravura.

Formou-se em Artes Plásticas na atual ESAD (Escola Superior de Arte e Design) no último ano do segundo milénio. Três anos antes, no mesmo sítio, conheceu Bartolomeu Cid dos Santos com quem descobriu e partilhou os mistérios da Gravura e com quem teve o privilégio de trabalhar em diversas ocasiões. Também em 2000 fez o curso de ilustração infantil na Fundação Calouste Gulbenkian e desde então que se dedica violentamente à gravura a par com a ilustração de livros infantis.

Já trabalhou num Museu, teve um romance de Verão com um pomar de pêra-rocha, trabalhou com crianças, fez artesanato urbano, fez exposições por Portugal, Espanha e França e coordenou a Companhia do Eu (escola de escrita criativa), do poeta e escritor Pedro Sena Lino, onde aprendeu a esculpir palavras.
Desde 2011 que se empenha no curso mais importante da sua vida, o da maternidade.

Sempre que pode volta à aldeia onde cresceu para sentir o cheiro da terra e abraçar as árvores.

20/05/17

Arte Sacra em Fátima - CHÁ COM ARTE


O CONSOLATA MUSEU | Arte Sacra e Etnologia, em Fátima,  e a sua Liga de Amigos, realizarão no dia 30 de maio, terça-feira,  às 21h30, o último “Chá com Arte” da temporada. 

Após a degustação de chá e biscoitos, iniciar-se-á a conversa  com o convidado especial Marco Daniel Duarte que abordará o tema “ Arte Sacra em Fátima”.

A próxima temporada arrancará em final de setembro, pretendendo-se discutir várias áreas desde a missão, religião, a arte, etnografia, antropologia, música, entre outros temas.

***
Marco Daniel Duarte é diretor do Serviço de Estudos e Difusão do Santuário de Fátima, onde dirige o Museu da Instituição, e do Departamento do Património Cultural da Diocese de Leiria-Fátima. 

Doutorado em História da Arte pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, tem desenvolvido os seus estudos no âmbito do saber da Iconografia e da Iconologia, áreas sobremodo ligadas à arte sacra antiga e contemporânea. 

Pertence à Academia Portuguesa da História, como Académico Correspondente, é Sócio Efetivo da Associação Portuguesa de Historiadores da Arte, Membro da Sociedade Científica da Universidade Católica Portuguesa e Colaborador do Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX, da Universidade de Coimbra. 


Em 2009 foi nomeado para integrar o Grupo Técnico Coordenador do projeto Rota das Catedrais, cujo protocolo foi celebrado entre o Ministério da Cultura e a Conferência Episcopal Portuguesa. Autor de vários estudos publicados em revistas científicas e editados em livro, alguns deles premiados, tem também comissariado diversas exposições científicas subordinadas às temáticas da sua especialidade. 

11/05/17

NOITE DOS MUSEUS


No dia 20 de maio, sábado, o CONSOLATA MUSEU | Arte Sacra e Etnologia irá juntar-se à 13.ª edição europeia da “Noite dos Museus” onde centenas de museus da Europa estarão abertos à noite com várias atividades.

Este museu estará aberto até às 0h00 realizando pelas 21h30 uma “Visita Guiada à Luz da Lanterna com momentos musicais surpresa” a cargo da fadista LUISA VILAS BOAS.
A entrada é livre, mas como número limitado a 30 pessoas, sujeita a marcação prévia através do telefone 249 539 470.


BREVE BIOGRAFIA DE LUÍSA VILAS BOAS
Natural de Barcelos, Luísa Vilas Boas nasceu em 1980 e desde muito cedo começou a revelar o gosto e talento pela arte musical. O fado foi surgindo num ambiente familiar que muito tem incentivado a fadista e a inspira na sua expressão.
A sua primeira participação pública no fado deu-se na V Grande Noite do Fado de Braga, em 2005. Desde então tem percorrido Portugal Continental e Insular, e o estrangeiro em magníficas salas de espetáculo e nas mais caraterísticas casas de fado.
Em 2007 venceu a IV Gala de Fado de Santo Tirso. No I Concurso de Fado da cidade de Vila Nova de Famalicão, em 2011, foi aclamada a grande vencedora, deixando o público ao rubro com as várias interpretações.
No ano seguinte, 2012, editou o seu primeiro álbum, no qual se podem ouvir fados tradicionais mas também alguns originais, como “Para Sempre”, “Maria Tristeza” e “Referência”. Com a frescura de uma voz jovem mas madura, cativa pela espontaneidade e reinterpretações de sucessos antigos. Poetas como Alfredo Marceneiro, Pedro Homem de Mello, David Mourão Ferreira, Maria Teresa Horta, e José Guimarães estão presentes nos temas interpretados.
Custódio Castelo, Samuel Cabral, António Cardoso, Mário Henriques, Miguel Amaral, Manuel Reis e André Teixeira são alguns dos nomes dos músicos e amigos que têm acompanhado Luísa Vilas Boas ao longo da sua carreira.
Professora de profissão, dedica-se ao fado de alma e coração em cada momento da vida.
Se o fado é a mais elevada representação portuguesa, então, diz a fadista: "O Fado voa no meu coração e percorre todo o meu corpo. Cresce como raízes... Explode em cada melodia e eu vivo e torno a viver!"

10/05/17

CRIF - Centro de Reabilitação e Integração de Fátima expõe no CONSOLATA MUSEU!


No âmbito do Centenário das Aparições, estarão expostos, de 13 de maio e 13 de outubro de 2017, no hall da recepção do CONSOLATA MUSEU | Arte Sacra e Etnologia quatro trabalhos dos utentes do CRIF - Centro de Reabilitação e Integração de Fátima.
O número quatro corresponde ao número de siglas do CRIF e todos os dias 13 de cada mês os trabalhos serão substituídos pelos de outros artistas da mesma instituição. Neste mês de maio é Luís Lasota a ter oportunidade de expor as suas pinturas.
O Centro acolhe cerca de cento e vinte utentes com necessidades especiais, ao nível da deficiência física e mental. Muitas destas crianças têm expressões ao nível artístico que são desenvolvidas e orientadas pelas várias equipas profissionais da instituição.
A visita é livre e pode ser admirada de terça a domingo com o seguinte horário: 10h00-13h00 |14h00-18h00.